GRANDES METAS… GRANDES CONQUISTAS…

ESTE HOTEL TEM HISTÓRIA PARA CONTAR

Há homens predestinados a executar alguma coisa expressiva em suas vidas e João Carlos Vieira Ferraz foi um deles. No fim do século passado, juntamente com sua esposa Da. Maria Carlota Cirne Ferraz fixaram residência definitiva em Caxambu-MG. Procurou o Senhor João Carlos se integrar às atividades do lugar, de preferência no ramo hoteleiro, tendo por motivo principal as águas minerais como meio de atração. Para tanto adquiriu um modesto hotel que era de propriedade do Senhor João Luiz do Prado. Ficava este pequeno hotel próximo ao Parque e nele iniciou a sua vida, pela finalidade lógica de sua função, tonar-se-ia mais tarde o pioneiro de hotéis de classe no Brasil.
Em 1890, um modificação se processou na vida de João Carlos. O Conselheiro Francisco de Paula Mayrink radicado por negócios em Caxambu-MG, sobretudo no Parque das Águas, tendo ficado com a concessão no sentido de explorá-lo, propôs, também, a organização de uma companhia de maiores proporções e de melhores possibilidades para que as referidas águas fossem exportadas.
Deste modo comprou o hotel que já tinha o nome de João Carlos; mais tarde tornando-o de Hotel da Empresa, e por sua vez o de Parc Hotel. Este hotel, da década de 1930, foi demolido, porém, no ato da compra feita anteriormente, o Conselheiro Mayrink concedia a João Carlos o direito de ficar com um número de ações no total de, cento e sessenta contos de réis, referente a futura companhia a ser organizada. Mas isto não aconteceu e o conselheiro assumiu pessoalmente tudo, ficando com todas as vantagens do contrato firmado com o Governo do Estado. Esta medida tomada por Mayrink, veio prejudicar de uma forma direta João Carlos.
Afastando-se de seus companheiros resolveu construir o seu próprio hotel. De início organizou a Empresa do Palace hotel e Cassino João Carlos, obra do gênero, a pioneira em toda a América do Sul. Era preciso, entretanto, muita audácia e muita coragem. Ele as tinha de sobra. Pondo mãos a obra, no dia 16 de Janeiro de 1892, era fundado o PALACE HOTEL com toda a pompa merecida. Por muito tempo foi considerado o maior do país, liderança esta mantida até 1914, quando foram construídos outros, principalmente na cidade do Rio de Janeiro. Como estilo arquitetônico escolheu o neoclássico tão em moda na época, por sinal imponente e suntuoso. Sua montagem foi a mais esmerada possível, com luxo mesmo, pois tudo era importado da Europa, principalmente da França.
Possuía João Carlos um senso de “relações públicas” fora do comum, com tudo e com todos, razão pela qual ele granjeou um relacionamento excepcional muito adequado à vida de homem privilegiado em hotel. Aos seus hóspedes proporcionava-lhes o que havia de melhor e do mais requintado gosto. Com Augusto Ribeiro, mantiveram um salão de jogos bem como outras diversões, o que era de inteiro agrado de seus escolhidos hóspedes.
Antes da estrada de ferro chegar a Caxambu, a viagem de Bela Vista à estância fazia-se em três dias. O proprietário do PALACE HOTEL proporcionava a todos o maior conforto, em diligências de primeira classe, a par de um tratamento fora do comum. Era um homem que pensava em seus hóspedes mais do que nele mesmo. João Carlos faleceu em 1927 no Rio de Janeiro, tendo o imóvel passado às mãos da Companhia Sul América que por sua vez, esteve com o Dr. João Ribeiro que o transmitiu ao Senhor Jácomo Rosário Staffa que, em seguida, o vendeu ao Senhor José Galo e este ao Senhor Paulo Vianna de Araújo, juntamente com seu filho Paulo Vianna de Araújo Filho e bem as senhoras Silvia Vianna de Araújo (Silvia Pinheiro Guimarães) e Alda Rocha Vianna de Araújo , que introduziram no Palace reformas de vulto, mantendo assim a tradição hoteleira no Brasil e deste modo o nome de um estabelecimento que traz a Caxambu, fama e renome consagrados.
Atualmente o hotel está sob a direção da filha de Da. Alda, Dra Liana Maria Vianna Perez, juntamente com seu marido Dr. José Perez Gonzalez (Pepe).

Texto escrito pelo Professor Themistocles Coutinho Rocha

TOP